sábado, 22 de janeiro de 2011

Aspectos biológicos da mediunidade

Está publicada abaixo a entrevista concedida pelo Dr. Sérgio Felipe de Oliveira, médico psiquiatra, ao programa Transição da Rede TV em julho de 2010. A entrevista fala sobre os aspectos biológicos da mediunidade, tem aproximadamente meia hora e está dividida em três partes.

O Dr. Sérgio é famoso no meio espírita por seus estudos sobre a glândula pineal, estabelecendo relações entre atividades psíquicas e recepção de sinais de natureza espiritual através da glândula. Na entrevista, inicialmente perguntado sobre a existência da vida após a morte, ele menciona que o materialismo não tem comprovação científica e que, portanto, hipóteses espiritualistas ganham cada vez mais força nas universidades do mundo. Ele dá como exemplo um projeto sendo conduzido atualmente na USP para tratamento psicológico de pessoas que perderam parentes queridos. Uma mãe que perde seu filho, por exemplo, tem sete vezes mais riscos de contrair doenças por efeitos psicossomáticos que outras em situação normal de estresse. No entanto, quando tratadas admitindo-se a "hipótese do contínuo", ou seja, da continuidade da vida, apresentam melhoras significativas em seus quadros.

A entrevista tem enfoque espírita, pois o programa Transição é espírita. Ainda assim, mesmo para os não simpatizantes, é interessante observar a opinião do Dr. Sérgio sobre os aspectos biológicos da mediunidade. Segundo ele, é possível medir as alterações de pressão arterial, de fluxo sanguíneo, de consumo de glicose, dentre outras, de uma pessoa no momento em que ela está exercendo suas faculdades mediúnicas. Também são curiosos seus comentários sobre a TPM (tensão pré-menstrual) e a puberdade, fazendo considerações sobre ambos os temas de um ponto de vista mais amplo do que o puramente materialista.

Vale a pena conferir!




3 comentários:

  1. Eu me aproximo e me impressiono muito e cada vez mais desses "fenômenos", teses, teorias e conceitos, Adriano. Depois que acabei de ler CRIAÇÃO IMPERFEITA, do Marcelo Gleiser, aumentaram ainda mais minha buscas e o meu apreço pela espiritualidade. Abraços. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  2. Bem interessante mesmo, Adriano!

    Só achei que ficou faltando ele explicar um pouco mais a questão da pineal.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. @Cacá, que bom! Sem espiritualidade, a vida perde muito em sentido. Aliás, também gosto do Marcelo Gleiser, uma grande autor. Obrigado pelo comentário.

    @Vital, existem outros vídeos do Dr. Sérgio específicos sobre a glândula pineal. Um deles pode ser visto neste link aqui embaixo:

    http://dalhemongo.com/ciencia-e-espiritualidade

    Abraços a todos!

    ResponderExcluir