quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Resenha: Horizonte das cotovias


Título: Horizonte das cotovias
Autor: Ferdinando (espírito)
Medium: Gilvanize Balbino Pereira
Editora: Petit
Formato: 14x21 cm
Páginas: 288

Resumo: por volta do ano 60 antes de Cristo, a Grécia politeísta estava sob domínio romano, povo que também acreditava em vários deuses. Uma família de humildes pescadores israelitas, que vivia em Atenas, foi escravizada. Eles viram seu destino se entrelaçar com os Gracus, família de impiedosos generais de Roma, muito poderosa e influente. Confiantes em seu único Deus, os israelitas atravessaram momentos de extremo sofrimento, porém com resignação, sem nunca perder a fé na justiça divina. Os exemplos que davam aos seus contemporâneos e às gerações seguintes serviriam de preparação para a chegada do Messias.

Opinião:

Logo no início do livro, o espírito Ferdinando agradece a Deus pela oportunidade de narrar uma história real, vivida por ele mesmo e alguns de seus colegas durante a antiguidade. Particularmente, eu gosto das narrativas espirituais misturadas aos fatos históricos. Em geral, elas apresentam descrições muito ricas, contadas por quem realmente as presenciou, contendo detalhes que nunca chegariam até os nossos tempos pelos meios convencionais da História.

O romance é complexo, composto por várias pessoas, de diferentes famílias e gerações. Só para se ter uma idéia, há quatro gerações da família Gracus na história, começando pelo general Titus e passando por seu filho Pompilius, seu neto Octavius e seu bisneto Apolonius. Tal complexidade fez com que, em alguns momentos, a narrativa se tornasse um pouco acelerada e ligeiramente confusa, ainda que isso não tenha gerado prejuízos de entendimento. É verdade que os tais dados históricos que eu estava esperando acabaram ficando sem espaço na trama. Ainda assim, a qualidade do enredo é boa e, mesmo que de forma superficial, é possível ter uma noção das condições e do estilo de vida naquela época.

O foco do livro é nitidamente voltado para os exemplos de fé em Deus e amor ao próximo, repetidamente enfatizados ao longo dos diversos capítulos. Achei que os personagens são idealizados um pouco além da conta, pois são bem diferentes das pessoas comuns, as quais geralmente fraquejam em suas provas e expiações. A conduta impecável de alguns deles me impressionou bastante, principalmente porque o próprio autor afirmou se tratar de uma história real. Contudo, como missionários que estavam preparando a vinda de Jesus, pode até ser que não haja exageros na descrição de suas atitudes. Talvez tenham sido mesmo espíritos de elevado grau de adiantamento, destes que minha limitada condição humana ainda não me permite compreendê-los muito bem. Quem sabe...

Enfim, trata-se de um livro que vale a pena ser lido. Aqueles que esperam uma narrativa histórica além de um bom romance espírita podem se decepcionar um pouco. No entanto, a leitura é bastante agradável e as lições de amor, humildade e resignação são simplesmente irretocáveis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário