sábado, 31 de julho de 2010

Divulgar é Preciso

A Semana do Caminho é o evento de comemoração ao aniversário do centro espírita Caminho de Damasco que vai ser realizado de 2 a 6 de agosto com apresentações de grandes palestrantes e suas abordagens modernas sobre temas atuais da espiritualidade. Fica a dica para quem quiser conhecer um pouquinho mais sobre o assunto.


"O Espiritismo, conforme concepção do próprio Kardec, é uma ciência experimental ou de observação que deriva em uma filosofia de cunho moral. Esta ciência (...) se realiza através do intercâmbio mediúnico com os espíritos, que nada mais são do que todos aqueles que já se desvencilharam do invólucro carnal. E mesmo a filosofia que derivou desse intercâmbio não é nova, mas se encontra dispersa através dos ensinamentos dos principais mestres espiritualistas da humanidade, no ocidente e no oriente (...) Pode-se, pois, ser católico, grego ou romano, protestante, judeu ou muçulmano, e crer nas manifestações dos espíritos, e por consequência, ser Espírita." - Adilson Marques, citando AK

sábado, 24 de julho de 2010

Consciência

Gostei de um artigo que li sobre a consciência, uma das mais novas fronteiras pesquisadas por cientistas de áreas bem distintas, tais como a neurociência, a biologia e a física quântica. Porém, o artigo é um pouco longo, está em inglês e é meio complicado de entender. Vou tentar resumir para vocês da maneira mais simples possível.

Bem, antes de mais nada, é necessário entender que a física quântica estuda o mundo das pequenas partículas, tais como prótons, elétrons, nêutrons e partículas ainda menores. Neste mundo, matéria e energia se confundem, são praticamente a mesma coisa. Ora as partículas se comportam como partículas, ora como ondas eletromagnéticas, tipo a luz. É meio viajante, mas basta entender que a matéria, às vezes, se comporta como se fosse uma luz. Deu para sacar?! Então vamos lá, de volta ao artigo.


O conteúdo que quero repassar a vocês é da geneticista e biofísica de Hong Kong chamada Mae-Wan Ho. Segundo ela, a parte visível do nosso corpo é apenas aquela onde a matéria, na forma de partículas e ondas, é mais densa. No entanto, existem partes invisíveis do nosso corpo, também na forma de partículas e ondas, só que menos densas. Como leigos, poderíamos dizer que há energia fluindo pelo nosso corpo, entrando e saindo dele o tempo todo, o que não está errado, pois já vimos que matéria e energia são praticamente a mesma coisa na física quântica. Sendo assim, a energia expelida pelo nosso corpo, a qual não deixa de ser parte dele, atinge os outros seres vivos. E nós também somos atingidos pelas energias emitidas por eles. Este mecanismo poderia explicar os chamados estados de consciência, aqueles em que parece que nos comunicamos com o universo, que nos fazem sentir parte dele, que nos dão uma sensação de coletividade, de algo superior. Parece esotérico, né?! Mas, mais uma vez, é pura ciência.

Por isso, tomar cuidado com o que sentimos e pensamos é tão importante. Não apenas para o nosso próprio bem estar e saúde, mas também pelo bem estar dos outros. Quem nunca sentiu um clima inexplicavelmente agradável ao chegar em determinado local? Ou, ao contrário, um clima pesado? Sabem, talvez algum dia a gente consiga até medir a poluição de consciência de um determinado ambiente, assim como hoje medimos a poluição do ar. E, da mesma forma que nos policiamos para não poluir, colocando filtros nos escapamentos dos carros e usando energias mais limpas, teremos que serenar os pensamentos para que não poluam o universo, não prejudiquem a nós mesmos, nem nossos semelhantes. Quando nosso mundo estiver mais evoluído, pode ser que esta seja uma questão de responsabilidade e cidadania assim como outra qualquer. Acho possível. E vocês, acham o quê?

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Muitas Moradas

Existe vida inteligente fora da Terra? Pergunta que nunca se cala. Os mais céticos dirão que as probabilidades são muito baixas. De fato, a Terra combinou ao longo dos seus 4,5 bilhões de anos uma série intrincada de condições que favoreceram o desenvolvimento da vida como a conhecemos. As chances de um outro planeta apresentar condições semelhantes são remotíssimas. Acho que podemos assumir que a chance é de apenas uma em 1 milhão. Ou talvez menor, uma em 1 bilhão. Ou quem sabe menor ainda, talvez uma em 100 bilhões. Ah, sei lá, vamos dizer que é praticamente impossível, uma chance em 100 trilhões!!! Ainda assim, apesar de tão improvável, será que existem seres extraterrestres inteligentes? 

“Há mais estrelas no céu do que grãos de areia na Terra”. Muitos já devem ter ouvido a célebre frase de Carl Sagan, astrônomo americano falecido em 1996. Vocês já pararam para pensar melhor nela? Se alguém na praia encher a mão de areia e tentar contar os grãos provavelmente vai perder o passeio. Agora imaginem toda a areia das praias e desertos do mundo. Será mesmo que existem mais estrelas que isso?! O tema é polêmico. Já vi estudos falando que a areia ganha, outros confirmando que as estrelas ganham. Contudo, o que importa é que tal comparação nos dá uma idéia das dimensões do universo. Tende ao infinito. Estima-se que há mais de 100 bilhões de galáxias no universo. E cada uma delas contém bilhões de estrelas. Uma pesquisa recente aponta um total em torno de 70 septilhões de estrelas, o número 7 seguido de 22 zeros!!! E a pesquisa considera apenas o que os cientistas chamam de universo observável. Pode haver mais. 

Sabendo-se disso, você apostaria que existe vida inteligente fora da Terra?! Nós chutamos que a chance é de uma em 100 trilhões, não foi? Podemos traduzir isso dizendo que para cada 100 trilhões de estrelas existe uma que contém um planeta com vida inteligente em sua órbita. Fazendo-se as contas podemos concluir que há aproximadamente 700 milhões de planetas habitados. Parece muito?! Eu diria que chutamos baixo nos cálculos. Só para se ter uma idéia, a Via Láctea, contendo “apenas” 200 bilhões de estrelas, tem a nossa Terra. Portanto, meus amigos, apostem todas as suas fichas. Não tem como errar. 

“Há muitas moradas na casa de meu Pai” – Jesus Cristo

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Cálculos Bíblicos

Esses dias vi um programa na televisão que falava das profecias de Isaac Newton sobre o dia do apocalipse. Para quem não sabe, Newton (1643-1727) foi um dos monstros sagrados da história da ciência, o pai da lei da gravitação universal. É o cara que a maçã caiu na cabeça. Bom, na verdade essa coisa da maçã é só uma lenda, mas o que importa é que o homem realmente foi um gênio. Voltando ao assunto, ele acreditava que Deus havia escondido códigos secretos na Bíblia capazes de revelar informações sobre o final dos tempos. E lá foi ele tentar decifrar. Ele previu, dentre outras coisas, que o mundo não vai acabar antes de 2060. Humm... Eu diria que na função de Nostradamus até que ele se saiu um bom físico ;-)

Curioso notar como um homem que se tornou referência na área das ciências exatas também tenha se lançado com tanto fervor em um assunto típico da fé. E, no fundo, não há incoerência nisso. Newton avançou muito em seus conhecimentos científicos. Q
uanto mais se avança na ciência, mais clara se torna a existência de uma ordem superior. Já vimos em outras postagens que Einstein também admitia a mesma hipótese. Por que então negar que ela existe? Vamos explorá-la!

"A maravilhosa disposição e harmonia do universo só pode ter tido origem segundo o plano de um Ser que tudo sabe e tudo pode. Isto fica sendo a minha última e mais elevada descoberta" - Isaac Newton